-->
2

O Cuco

Editar postagem

Na noite passada, fui convidada para uma reunião com "as meninas" . Eu disse a meu marido que estaria de volta meia-noite:
- Prometo! Eu disse.
Mas, as horas passaram rapidamente e o champanhe estava rolando solto. Por volta das 3 da manhã, bêbada feito um gambá eu fui para casa.
Mal entrei e fechei a porta, o cuco no hall disparou e "cantou" 3 vezes. Rapidamente, percebendo que meu marido podia acordar, eu fiz "cuco" mais 9 vezes.
Fiquei realmente orgulhosa de mim mesma por ter uma idéia tão brilhante e rápida (mesmo de porre) para evitar um possível conflito com ele.
Na manhã seguinte, meu marido perguntou a que horas eu tinha chegado e eu disse a ele: - Meia-noite!
Ele não pareceu nem um pouquinho desconfiado. Ufa! Daquela eu tinha escapado!
Então ele disse: - Nós precisamos de um novo cuco.
Quando eu perguntei - por quê? Ele respondeu: - Bom, de madrugada nosso relógio fez "cu-co" 3 vezes, depois, não sei por que, soltou um "caraaaaalhooooo!" .
Fez "cu-co" mais 4 vezes e espirrou. Fez mais 3 vezes, riu e fez mais 2 vezes.
Daí tropeçou no gato, derrubou a mesinha da sala, peidou, vomitou no tapete e voltou para a casinha dele.

Leia Mais »»
0

Abraço do Fundo do Coração

Editar postagem

Muitos consideram o abraço do fundo do coração como a mais elevada forma de abraçar. Ele começa com o contato direto dos olhos. Então os braços são postos de maneira a enlaçar os ombros ou as costas. As cabeças estão juntas e há contato físico pleno. O abraço é firme e ao mesmo tempo leve. Enquanto os dois respiram juntos, devagar e descontraidamente, prestam atenção no sentimento de compaixão que flui de um coração para o outro...

Vantagens do abraço do fundo do coração:
. Faz a gente se sentir bem;
. Acaba com a solidão;
. Faz a gente superar o medo;
. Abre passagem para os sentimentos;
. Constrói a auto-estima ("Uau! Ela quer mesmo me abraçar!");
. Estimula o altruísmo ("Não posso acreditar, mas realmente estou querendo dar um abraço naquele velho filho da mãe!");
. Retarda o envelhecimento;
. Emagrece. Comemos menos quando estamos bem alimentados com abraços e quando nossos braços estão ocupados, enlaçados em volta dos outros;
. Alivia a tensão;
. Combate a insônia.
. Dá oportunidade para exercícios de alongamento, se você é baixo;
. Propicia exercícios de flexão, se você é alto;
. É ecologicamente benéfico (não tumultua o meio ambiente);
. É portátil e não requer equipamento especial;
. Torna os dias felizes mais felizes;
. Torna viáveis os dias impossíveis;
. Continua trazendo benefícios, mesmo depois de desfeito.

(Autoria desconhecida)

Leia Mais »»
0

E o Show Começou...

Editar postagem

Leia Mais »»
0

Um Pedido de Desculpas

Editar postagem

Dias atrás, coloquei aqui no blog um post intitulado "Verissimo", uma crônica divulgada como sendo de sua autoria e que eu recebi por e-mail.
Por motivos que ninguém explica, diversos textos de outros autores circulam pela internet como sendo de Luis Fernando Verissimo. Isso ocorre com outros autores também, mas o seu estilo mais casual parece torná-lo um alvo fácil. Veja o que ele tem a dizer sobre isso:

Presque
(texto de LFV publicado no jornal ZH em 24/03/2005)

A internet é uma maravilha, a internet é um horror. Não sei como a Humanidade pôde viver tanto tempo sem o e-mail e o Google, não sei o que será da nossa privacidade e da nossa sanidade quando só soubermos conviver nesse cyberuniverso assustador.
O mais admirável da internet é que tudo posto nos seus circuitos acaba tendo o mesmo valor, seja receita de bolo ou ensaio filosófico, já que o meio e o acesso ao meio são absolutamente iguais. O mais terrível é que tudo acaba tendo a mesma neutralidade moral, seja pregação inspiradora ou pregação racista — ou receita de bomba — já que a linguagem técnica é a mesma e a promiscuidade das mensagens é incontrolável. Não temos nem escolha entre o admirável e o terrível, pois acima de qualquer outra coisa a internet, hoje, é inevitável.
Uma das incomodações menores da internet, além das repetidas manifestações que recebo de uma inquietante preocupação, em algum lugar, com o tamanho do meu pênis, é o texto com autor falso, ou o falso texto de autor verdadeiro. Ainda não entendi o recato ou a estranha lógica de quem inventa um texto e põe na internet com o nome de outro, mas o fato é que os ares estão cheios de atribuições mentirosas ou duvidosas. Já li vários textos com assinaturas improváveis na internet, inclusive vários meus que nunca assinei, ou assinaria. Um, que circulou bastante, comparava duplas sertanejas com drogas e aconselhava o leitor a evitar qualquer cantor saído de Goiânia, o que me valeu muita correspondência indignada. Outro era sobre uma dor de barriga desastrosa, que muitos acharam nojento ou, pior, sensacional. O incômodo, além dos eventuais xingamentos, é só a obrigação de saber o que responder em casos como o da senhora que declarou que odiava tudo que eu escrevia até ler, na internet, um texto meu que adorara, e que, claro, não era meu. Agradeci, modestamente. Admiradora nova a gente não rejeita, mesmo quando não merece.
O texto que encantara a senhora se chamava "Quase" e é, mesmo, muito bom. Tenho sido elogiadíssimo pelo "Quase". Pessoas me agradecem por ter escrito o "Quase". Algumas dizem que o "Quase" mudou suas vidas. Uma turma de formandos me convidou para ser seu patrono e na última página do caro catálogo da formatura, como uma homenagem a mim, lá estava, inteiro, o "Quase". Não tive coragem de desiludir a garotada. Na internet, tudo se torna verdade até prova em contrário e como na internet a prova em contrário é impossível, fazer o quê?
Eu gostaria de encontrar o verdadeiro autor do "Quase" para agradecer a glória emprestada e para lhe dar um recado. No Salão do Livro de Paris, na semana passada, ganhei da autora um volume de textos e versos brasileiros muito bem traduzidos para o francês, com uma surpresa: eu estava entre Clarice Lispector, Carlos Drummond de Andrade, Manuel Bandeira e outros escolhidos, adivinha com que texto. Em francês ficou Presque.

(A partir de agora serei mais criteriosa e vou investigar a verdadeira autoria de cada crônica ou texto que eu postar aqui. Com o meu pedido de desculpas, reproduzo agora o verdadeiro texto, da autoria de Sarah Westphal Batista da Silva)

Quase

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.
É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.
Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.
O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.
Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.
Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Leia Mais »»
2

O MSN

Editar postagem

Menina caliente acabou de entrar

Sempre odiei o que a maioria das pessoas fazem com os seus MSNs. Não estou falando desta vez dos emoticons insuportáveis que transformaram a leitura em um jogo de decodificação, mas as declarações de amor, saudades, empolgação traduzidas através do nick. O espaço "nome" foi criado pela Microsoft para que você digite o nome que lhe foi dado no batismo. Assim seus amigos aparecem de forma ordenada e você não tem que ficar clicando em cima dos mesmos pra descobrir que "Vendo Abadá do Eva e Coco" é na verdade Tiago Carvalho, ou "Ainda te amo Pedro Henrique" é o MSN de Marcela Cordeiro.

Mas a melhor parte da brincadeira é que normalmente o nick diz muito sobre o estado de espírito e perfil da pessoa. Portanto, toda vez que você encontrar um nick desses por aí, pare para analisar que você já saberá tudo sobre a pessoa.

"A-M-I-G-A-S o fim de semana foi bala!!!" acabou de entrar
Essa com certeza, assim como as amigas piriguetes, terminou o namoro e está encalhadona. Uma semana antes está com o nick "O fim de semana promete". Quer mostrar pro ex e pros peguetes que tem vida própria, mas a única coisa que fez no fim de semana foi encher o rabo de tequila e beijar umas bocas repetidas.

"Polly em NY" acabou de entrar
Essa com certeza quer que todos saibam que ela está em uma viagem bacana. Tanto que em breve colocará uma foto da 5ª Avenida no Orkut escrito "Eu em Nova York". Por que ninguém bota foto de uma viagem feita a Caculé no São João no Orkut?

"Quando Deus te desenhou ele tava namorando" acabou de entrar
Essa pessoa provavelmente não tem nenhuma criatividade, gosto musical e interesse por cultura. Só ouve o que está na moda e mais toca nas paradas de sucesso. Normalmente coloca trechos como "Diga que valeuuu" ou "O Asa Arreia" na época do carnaval.

"Por que a vida faz isso comigo? :( " acabou de entrar
Quando essa pessoa entrar bloqueie imediatamente. Está depressiva porque tomou um pé na bunda e irá te chamar pra ficar falando sobre o ex.

"Maria Paula ocupada pra caralho" acabou de entrar
Se está ocupada pra caralho, por que entrou carapálida? Sempre que vir uma pessoa dessas entrar, puxe papo só pra resenhar..., ela não vai resistir à janelinha azul piscante e vai mandar o trabalho pras cucuias.

"Paulão, quero você acima de tudo" acabou de entrar
Se ama compre um apartamento e vá morar com ele. Uma dica: Mulher adora disputar com as amigas. Quanto mais você mostrar que o tal do Paulão é tudo de bom, maiores são as chances de você ter o olho furado por elas.

"Marizinha no banho" acabou de entrar
Essa não consegue mais desgrudar do MSN. Até quando vai beber água troca seu nick para "Marizinha bebendo água". Ganhou do pai um laptop pra usar enquanto estiver no banheiro, mas nunca tem coragem de colocar o nick "Marizinha matriculando o moleque na natação".

"Galinha que persegue pato morre afogada" acabou de entrar
Essa ai tomou um zig e está doida pra dar uma coça na piriguete que ta dando em cima do seu ex. Quando está de bem com a vida, costuma usar outros nicks-provérbios de Dalai Lama, Lair de Souza e cia.

"VENDO ingressos para a Choppada, Camarote Vivo Festival de Verão, ABADÁ DO EVA, Bonfim Light, Bate-volta da vaquejada de Serrinha e LP" acabou de entrar
Essa pessoa está desesperada pra ganhar um dinheiro extra e acha que a janelinha de 200 x 115 pixels que sobra no meu computador é espaço publicitário.

"Me pegue pelos cabelos, sinta meu cheiro, me jogue pelo ar, me leve pro seu banheiro..." acabou de entrar
Sempre usa um provérbio, trecho de música ou nick sedutores. Adoram usar trechos de funk ou pagode com duplo sentido. Está há 6 meses sem dar um tapa na macaca e está doida pra arrumar alguém pra fazer o servicinho.

"Danny Bananinha" acabou de entrar
Quer de qualquer jeito implacar um apelido para si própria, mas todos insistem em lhe chamar de Melecão, sua alcunha de escola. Adora se comparar a celebridades gostosas, botar fotos tiradas por si mesma no espelho com os peitos saindo da blusa rosa. Quer ser famosa. Mas não chegarão nem a figurante do Linha Direta.

Hilário né? Mas... O texto aí de cima NÃO É DE ARNALDO JABOR. O verdadeiro autor é Cléber Paradela, publicitário, webdesigner, professor universitário e autor do polêmico Canalhinhas. Esse texto foi publicado no iBahia.com em 01/11/2006, onde ele foi colunista por dois anos.

Leia Mais »»
0

Desejo de Liberdade

Editar postagem

Vá atrás dos seus sonhos. Esse foi o tema de um filme que assisti outro dia. O filme não foi o melhor que já vi, é um pouco lento, dá uma canseira até, mas a mensagem vale...
O tema "sonhos" vem me perseguindo. Há alguns meses li um livro de um psicólogo (não me lembro o nome agora), que falava sobre os nossos sonhos. Que passamos uma vida vivendo a vida dos outros, realizando o que os outros esperam da gente.
Mentira dizer "eu só faço o que eu quero". Que nada, claro que fazemos o que queremos, mas somos seres humanos. Vivemos, mesmo que inconscientemente, em busca de aceitação, aprovação. Queremos agradar... Com isso acabamos vivendo de agradar mais os outros do que a nós mesmos.
Primeiro o pai, a mãe, depois os professores, patrões, amigos, namorado, marido, filhos, netos... O psicólogo dizia que para sermos felizes, temos apenas que sermos nós mesmos. Viver a nossa vida e não a dos outros, a que gostaríamos que vivêssemos.

Mas meu Deus! Como é difícil soltar as amarras! Dizer um dane-se pra todas as expectativas que mesmo sem intenção os outros nos colocam. Aceitar seu sonho mesmo que mais maluco que seja e ir atrás dele, sem se importar com o que vão pensar, se vamos decepcionar muita gente... ai ai ai, como é difícil!
Eu, apesar de tudo, ainda tenho problemas pra fazer algo que quero, e que sei que vai decepcionar alguém. Até minhas palavras são medidas. Nunca falarei nada que vá magoar alguém sem que eu tenha pensado em cada conseqüência que aquilo me causará ou causará a outrem...
Em certo momento de minha vida (e isso não faz muito tempo), vi que era hora de arriscar. Tentar a sorte mesmo que tivesse que perder. Viver o que queria. Mas ainda estou aprendendo... Não posso dizer que já me libertei totalmente, mas já dou minhas braçadas nesse marzão que é a vida, sem pensar se estou ou não com salva-vidas.
Nessas braçadas, descobri que o que eu achei que me daria um pouco de felicidade me deu foi decepção e tristeza. E como só rio não volta atrás, resolvi dar uma chance pra mim mesma. Volto atrás sem medo do que pensem de mim. Danem-se os julgamentos ou expectativas que tenham me dispensado. O que eu quero é ser feliz...
Não entendeu nada? Não precisa, porque eu entendi. Entendi que o que importa é ser feliz. Do jeito que der...
Beijo aí...

Leia Mais »»
0

Frases que Nenhuma Mulher Gosta de Ouvir

Editar postagem

Adoro a Leila! Ela sabe como ninguém colocar de uma forma bem-humorada todas as pequenas questões que povoam o universo feminino!

Não importa se foram ditas por amigos, parentes, colegas de trabalho, conhecidos ou pelo paquera da hora: certas frases são sempre indigestas. O importante é respirar fundo e sair de cena com aquele ar de quem não se deixa abalar por uma bobagem qualquer (Por Leila Ferreira)


Às vezes elas são até bem-intencionadas, ditas sem o menor intuito de desagradar ou ofender. Às vezes. Outras vezes, vêm carregadas de segundas e terceiras intenções. O fato é que certas frases nos tiram do sério. Ficamos sem saber como reagir. Dar uma resposta atravessada? E se não houve ali nenhuma má intenção? Não reagir? Fazer cara de paisagem (ou de lâmpada, como diz uma amiga minha) e ir embora engasgada, imaginando dez respostas que deveria ter dado, mas que só vieram à mente cinco minutos depois?

Algumas são ditas por nossas amigas -com ou sem aspas. Outras, por colegas de trabalho, parentes, aquela conhecida que você encontra uma vez por ano. Ou então por 'eles'. E, onde se lê 'eles', leia-se: o namorado, o marido, o paquera da hora, o homem da vez que está a segundos de deixar de ser o homem da vez -enfim, é uma categoria ampla. Mas não importa a procedência. Venham de quem venham, incomodam profundamente. A lista é gigantesca e cada mulher é capaz de citar seu repertório particular. Mas há frases universalmente indigestas. Vamos a alguns exemplos.

Ditas por elas ou eles:
• É impressão minha ou você engordou um pouquinho?
• Por que que você cortou o cabelo? Estava lindo!...
• Você vai com esta roupa?!
• Você deve ter sido linda.
• Quer tentar experimentar um tamanho maior?
• Você já fez plástica?
• Vi seu namorado ontem... (reticências prolongadas)
• Este é seu pai?
• Este é seu filho?
• Vocês ainda estão juntos?
• Você ainda está sozinha?
• Por que vocês se separaram?
• Parecia que vocês se davam tão bem...
• E aí, TIA (com maiúsculas), vai deixar um cafezinho?
• Meu irmão te achou super gente boa.
• Meu amigo te achou superinteligente.
• Você tem um ROSTO (com maiúsculas) lindo.
• Você só precisa perder uns cinco quilos.
• Encontrei seu ex ontem. Ele está ótimo!
• E você? Já está com alguém?

Ditas por eles:
• Eu ia te ligar. Acabou a bateria.
• Que pena que você não apareceu antes na minha vida.
• Eu adoro você como amiga.
• Você merece um cara melhor.
• Aconteceu tudo muito rápido entre a gente. Acho melhor dar um tempo.
• O problema não é com você, querida. É comigo.
• Como é mesmo o nome daquela sua amiga?

UMA SUGESTÃO: cada vez que ouvir uma dessas provocações, conte até 150. Depois faça um daqueles exercícios de respiração que aprendeu na aula de yoga. Se der, medite por 30 segundos ali mesmo, na frente do (da) inconveniente. Por fim, saia com aquele ar de quem não se deixa abalar por uma bobagem qualquer. E, se a resposta que o (a) infeliz merecia ficar atravessada na garganta, não se preocupe: tome um espumante bem geladinho que passa. Afinal, a vida é importante demais pra ser levada a sério, já dizia Oscar Wilde. E aquele sabia das coisas. Ah, se sabia...

Leia Mais »»
0

Terça Insana

Editar postagem

Essa galera é simplesmente hilária!!! Boas risadas pra vocês...

Seu Merda e Esposa




Eu fico puto!


Leia Mais »»
0

Coisas que Gosto e Preciso Fazer...

Editar postagem

Algumas coisas é claro que não dependem de mim, mas se alguém ler e se habilitar, tá valendo! (eheh)

1. Ler todos os meus livros que estão na mesinha de cabeceira, esperando a sua vez de chegar.
2. Ouvir todos os meus cds antigos.
3. Ouvir todas as músicas novas que baixei do eMule.
4. Assistir todos os filmes e mini-séries que baixei do uTorrent.
5. Tomar sorvete. De preferência com waffle e calda de chocolate quente...
6. Viajar mais vezes.
7. Ir ao teatro.
8. Ir a um bom show.
9. Jantar num bom restaurante.
10. Ir a uma festa daquelas que você não esquece por um ano.
11. Andar descalça em um parque com um gramado bem verdinho.
12. Ligar pra todas as minhas amigas e amigos que não falo há muito tempo e fico adiando, adiando...
13. Me encontrar com todas essas pessoas pra matar a saudade.
14. Tirar fotos novas.
15. Scannear todas essas fotos e mandar pra todo mundo.
16. Ter um dia de noiva sem estar noiva, com direito a massagem, pé, mão, cabelos, hidratação e tudo que tenho direito.
17. Pegar um dia para fazer só o que gosto. Com direito a começar por um café da manhã daqueles enormes e claro, muito bem acompanhada.
18. Ir pra uma cachoeira e deixar a água cair na cabeça bem forte e sentir tudo de ruim indo embora!
19. Receber uma presente surpresa.
20. Receber flores.
21. Receber uma cesta enorme de café da manhã.
22. Receber uma ligação inesperada de alguém que eu goste muito.
23. Ir a uma praia bem linda só pra ver o pôr-do-sol.
24. Ficar um dia inteiro (daqueles de friozinho) deitada, debaixo dos edredons, entre bons filmes, boas músicas, bolinho de chuva, pipoca, chocolate quente e claro, ótima companhia.
25. Conseguir realizar tudo isso ! E bem rapidinho...

Leia Mais »»
0

Cordel

Editar postagem

E por falar em eleição, encontrei nos meus guardados (cóf,cóf...) essa poesia, meio velhinha mas, no mínimo, interessante.


Pequeno Cordel do Mensalão

Te asseguro, meu irmão:
Lula, nosso presidente
o Lula é um impudente.
vamos ao dicionário
ao Aurélio, minha gente.

Nasceu lá em Pernambuco,
terra de gente decente
Capiba, Antonio Maria
João Cabral, Fernando Lôbo
Luis Gonzaga, de Exú
gente que honrou a gente.

Veio de pau-de-arara
de gente humilde, decente
veio cá para Sum Paulo,
terra de trabalho honesto
dos imigrantes, mil gentes
do Brasil, do estrangeiro.
Ser torneiro, trabalhador
líder, gigante, valente.

Deu a cara pra bater
apanhou pouco, venceu
veio torcer pro Timão
pediu pra beber, bebeu.

Fez greve, negociou
fez discursos, convenceu
fundou então um partido
palmatória do Brasil.

Deputado Federal
muito votado, uma glória
ele sumiu no Congresso
ganhou o seu, foi embora
produziu porra nenhuma
recorreu à oratória :

"Tem 300 picaretas",
fora eu que sou petê
eu sou contra tudo e todos
não sei nem o abecê
você, preconceituoso
de dizer que não sei ler
Sarney que é um escritor
lambança é o quê fez fazer.

Aí o velho Diabo,
empregado do mercado,
levou-o ao alto de um morro
de um Morro de São Paulo :
" tudo isso será teu,
será teu se me adorares".

Ele então quis a República
presidente do petê,
presidente até de honra
honra?! não sei de que.

É mensalão, mensalinho
é caixa 2, é o quê ?
é Zé Dirceu, é João
é José ou e você ?

É você, seu impudente!
seu língua presa, indecente
filho de uma rapariga
malandro, incompetente.

Pinguço, cinqüenta e um.
pode beber à vontade,
não dirige nada mesmo,
nem mesmo o seu avião,
só faz faltar à verdade
recebeu seu mensalão
longe da sociedade.

Ali Babá do sertão
corre, pega que é ladrão!
Lulinha que pegou menos
pegou foi 5 milhão.

Ali Babá do sertão
Tem o Ali de Ribeirão
este pegava, faz tempo
pegou da Leão Leão.

Pegava de mala preta
pegava de avião
e, as meninas de programa
dizia, pegava não.

Era uma cena grotesca,
dividindo a mala preta
bem em cima do colchão
onde faria o desfrute,
mas que falta de higiene,
que falta de educação!

Não lambiam rapadura
Ribeirão não é sertão,
Havana é rum, é charuto
São Paulo é rabo de galo
traíram a revolução !

Este é o pior governo
do Brasil , desta nação
pior igual ao do Médici,
da tortura nunca mais
da operação oban,
rádio de pilha no ouvido,
ia pro Maracanã.

Este é o pior governo
do Brasil, desta nação
desde antes de Cabral
desde as capitanias
é pior do que o do Collor!
pior que a Velha República
pior que as cachaças do Jânio.
É a cachaça mensalão.

Não tenho final feliz
pro cordelzinho, meu irmão
queria ser otimista
mas não está dando, não!

Deus já dizia vão ver
o povo que botei lá.
Vai piorar esta droga,
esta droga de nação
vai piorar de ano em ano
de eleição em eleição.

Autoria Desconhecida

Leia Mais »»
0

Pérolas das Eleições

Editar postagem

É lamentável como um candidato tem a coragem de ir à uma emissora de TV completamente despreparado e sem nenhuma informação sobre as necessidades da cidade...

Leia Mais »»
0

As Possibilidades Perdidas

Editar postagem

Gente, eu adorei esse texto!
Outro dia até mandei pra uns amigos por e-mail, porque achei a minha cara... Espero que gostem... Beijos...

Fiquei sabendo que um poeta mineiro que eu não conhecia, chamado Emilio Moura, teria completado 100 anos neste mês de agosto, caso vivo fosse. Era amigo de outro grande poeta, Drummond. Chegaram a mim alguns versos dele, e um em especial me chamou a atenção: "Viver não dói. O que dói é a vida que não se vive".
Definitivo, como tudo o que é simples. Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Por que sofremos tanto por amor? O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável, um tempo feliz. Sofremos por quê?
Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade interrompida.
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar. Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender. Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada. Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso: se iludindo menos e vivendo mais.

Martha Medeiros

Leia Mais »»
1

Verissimo

Editar postagem

Quem me conhece sabe que amo tudo o que o Verissimo escreve... De qualquer forma, recebi isso aí embaixo hoje por email. E isso certamente fala mais do que eu possa tentar falar... Então, em vez de criar, copio. Com todo prazer...!

Sem comentários... Boa noite de sexta a vocês...
Beijos aí...

Leia Mais »»
0

Ernesto Cortazar

Editar postagem

Suas músicas são lindíssimas...tocam e acariciam a nossa alma, de forma sublime! Adoro ouví-las em qualquer hora, lugar, não importa... O que importa é sentir...

A música que eu mais gosto chama-se "Stolen Kiss" e está aqui; disponível para quem quiser ouvir, OK?

Beijokas...

Leia Mais »»
0

Saudade

Editar postagem

Eita sentimento que judia!!! Eu sou a "saudosista"...
Sinto saudade de tudo... Tenho aquela eterna sensação de que, de certa forma, no passado tudo era muito melhor, mais interessante, mais feliz. Sinto falta de muitas coisas. Da época que era criança e brincava na rua, andava de bicicleta e virava à toda na curva da esquina de casa (ai, ai, quantos tombos!), de quando estudava no Padilha, no Estadão e de toda aquela gente que, raríssimas vezes, eu tive a oportunidade de rever. Saudade da época que cabulava aula só pra tomar sorvete no Balaio e depois ia pra casa sem a menor culpa...
Sinto saudade da falta de compromisso com a vida. Da despreocupação com dinheiro, contas e obrigações... De me apaixonar toda semana e achar que, enfim, era o amor da minha vida e se ele não gostasse de mim como eu dele, morreria mesmo. Sim, porque tinha certeza que as pessoas morriam de amor... Ao menos as "pessoas adolescentes" ! Saudades da minha "nona", de quando ela me pegava pela mão e íamos juntas na quitanda do japonês fazer compras (sempre ganhava um docinho... eheh). Pois é... De tantas coisas... Poderia escrever dias sobre isso...
Mas a saudade que dói mais é a aquela que eu tenho de alguém que já não está mais aqui... De vez em quando me pego lembrando de como era gostosa e divertida a sua companhia, da sua irreverência diante de algumas situações da vida, dos nossos pilequinhos regados a muito vinho e acompanhados de bons queijos, da batidinha de caju e maracujá que todo mundo adorava nos almoços lá na casa dos meus pais...
Enfim, dizem que o tempo é o melhor remédio para curar certas dores, mas existem pessoas que independentemente do tempo, do que aconteceu ou ainda vá acontecer, vão ficar pra sempre em nossas vidas...
Beijos carinhosos...

Leia Mais »»
0

Desabafo de Uma Mulher Moderna

Editar postagem

Bom, hoje ao contrário de escrever, vou colocar um texto que recebi e que é excelente. Diz tudo o que eu sempre quis dizer...

Pensamentos Rebeldes

São 7:00 hs. O despertador canta de galo e eu não tenho forças nem para atirá-lo contra a parede. Estou tão cansada, não queria ter que trabalhar hoje.
Quero ficar em casa, cozinhando, ouvindo música, cantarolando, até. Se tivesse filhos, gastaria a manhã brincando com eles, se tivesse cachorro, passeando pelas redondezas. Aquário? Olhando os peixinhos nadarem. Espaço? Fazendo alongamento. Leite condensado? Brigadeiro... Tudo menos sair da cama, engatar uma primeira e colocar o cérebro pra funcionar.
Gostaria de saber quem foi a mentecapta, a matriz das feministas que teve a infeliz idéia de reivindicar direitos à mulher e por quê ela fez isso conosco, que nascemos depois dela.
Estava tudo tão bom no tempo das nossas avós, elas passavam o dia a bordar, a trocar receitas com as amigas, ensinando-se mutuamente segredos de molhos e temperos, de remédios caseiros, lendo bons livros das bibliotecas dos maridos, decorando a casa, podando árvores, plantando flores, colhendo legumes das hortas, educando as crianças, freqüentando saraus, a vida era um grande curso de artesanato, medicina alternativa e culinária.
Aí vem uma fulaninha qualquer que não gostava de sutiã nem tão pouco de espartilho, e contamina várias outras rebeldes inconseqüentes com idéias mirabolantes sobre "vamos conquistar o nosso espaço".
Que espaço, minha filha? Você já tinha a casa inteira, o bairro todo, o mundo aos seus pés. Detinha o domínio completo sobre os homens, eles dependiam de você para comer, vestir, e se exibir para os amigos, que raio de direitos requerer? Agora eles estão aí, todos confusos, não sabem mais que papéis desempenhar na sociedade, fugindo de nós como o diabo da cruz.
Essa brincadeira de vocês acabou é nos enchendo de deveres, isso sim. E nos lançando no calabouço da solteirice aguda. Antigamente, os casamentos duravam para sempre, tripla jornada era coisa do Bernard do vôlei - e olhe lá, porque naquela época não existia Bernard e, se duvidar, nem vôlei.
Por quê, me digam por quê um sexo que tinha tudo do bom e do melhor, que só precisava ser frágil, foi se meter a competir com o macharedo? Olha o tamanho do bíceps deles, e olha o tamanho do nosso. Tava na cara que isso não ia dar certo.
Não agüento mais ser obrigada ao ritual diário de fazer escova, maquiar, passar hidratantes, escolher que roupa vestir, que sapatos, acessórios, que perfume combina com o meu humor, nem de ter que sair correndo, ficar engarrafada, correr risco de ser assaltada, de morrer atropelada, passar o dia ereta na frente do computador, com o telefone no ouvido, resolvendo problemas.
Somos fiscalizadas e cobradas por nós mesmas a estar sempre em forma, sem estrias, depiladas, sorridentes, cheirosas, unhas feitas, sem falar no currículo impecável, recheado de mestrados, doutorados, e especializações.
Viramos super mulheres, continuamos a ganhar menos do que eles. Não era muito melhor ter ficado fazendo tricô na cadeira de balanço?
Chega, eu quero alguém que pague as minhas contas, abra a porta para eu passar, puxe a cadeira para eu sentar, me mande flores com cartões cheios de poesia, faça serenatas na minha janela (- ai, meu Deus, já são 7:30 hs., tenho que levantar!), e tem mais, que chegue do trabalho, sente no meu sofá, coloque os pés pra cima e diga "meu bem, me traz uma dose de whisky, por favor?", descobri que nasci pra servir.
Vocês pensam que eu tô ironizando? Tô falando sério! Estou abdicando do meu posto de mulher moderna... Troco pelo de Amélia. Alguém se habilita?


Ana Kessler

Leia Mais »»
0

Autopsicografia

Editar postagem

O poeta é um fingidor,
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda
Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama coração.

Fernando Pessoa

Leia Mais »»
0

Começar de Novo

Editar postagem

Ouso dizer que elegi essa música como o tema da minha vida. Os reveses foram muitos, mas a cada rasteira levada, sempre tem um novo começo...
Amo de paixão essa dupla maravilhosa!!!

Leia Mais »»
0

Julgamento Precipitado

Editar postagem

Eram dois vizinhos. O primeiro vizinho comprou um gatinho para os filhos. Os filhos do outro vizinho pediram um bicho para o pai. O homem comprou um cachorro. Papo de vizinho:
- Mas ele vai comer o meu gato!
- De jeito nenhum! Imagina! O meu cachorro é filhote. Vão crescer juntos, pegar amizade. Entendo de bicho. Problema nenhum.
E parece que o dono do cachorro tinha razão. Juntos cresceram e amigos ficaram. Era normal ver o gato no quintal do cachorro e vice-versa. As crianças, felizes. Eis que o dono do gato foi passar o final de semana na praia com a família e o animal ficou sozinho. Isso na sexta-feira. No domingo, de tardinha, o dono do cachorro e a família tomavam um lanche, quando entra o cachorro na cozinha. Pasmo... Trazia o gato entre os dentes, todo imundo, arrebentado, sujo de terra e, claro, morto. Quase mataram o cachorro.
- O vizinho estava certo. E agora!?
A primeira providência foi bater no cachorro, escorraçar o animal, para ver se ele aprendia um mínimo de civilidade e boa vizinhança. Claro, só podia dar nisso. Mais algumas horas e os vizinhos iam chegar. E agora? Todos se olhavam. O cachorro chorando lá fora, lambendo as pancadas.
- Já pensaram como vão ficar as crianças?
Não se sabe exatamente de quem foi a idéia, mas era infalível.
- Vamos dar um banho no gato, deixar ele bem limpinho, depois a gente seca com o secador da sua mãe e o colocamos na casinha dele no quintal.
Como o gato não estava muito estraçalhado, assim fizeram. Até perfume colocaram no falecido. Ficou lindo, parecia vivo, diziam as crianças. E lá foi colocado, com as perninhas cruzadas, como convém a um gato cardíaco. Umas três horas depois eles ouvem a vizinhança chegar. Notam os gritos das crianças.
- Ai, ai, ai! Descobriram!
Não se passaram cinco minutos e o dono do gato veio bater à porta. Branco, assustado. Parecia que tinha visto um fantasma...
- O que foi?! Que cara é essa?
- O gato... O gato...
- O que que tem o gato?
- Morreu!
Todos:
- Morreu? Ainda hoje à tarde parecia tão bem...
- Morreu na sexta-feira!
- Na sexta?
- Foi. Antes da gente viajar, as crianças o enterraram no fundo do quintal!

(Autoria desconhecida)

A história termina aqui. O que aconteceu depois não importa. Nem ninguém sabe. Mas o personagem que mais cativa nesta história toda, o protagonista da história, é o cachorro. Imagine o pobre do cachorro que, desde sexta-feira, procurava em vão pelo amigo de infância, o gato. Depois de muito farejar descobre o corpo. Morto. Enterrado. O que faz ele? Provavelmente com o coração partido, desenterra o pobrezinho e vai mostrar para os seus donos. Provavelmente estivesse até chorando, quando começou a levar pancada de tudo quanto é lado. O cachorro é o herói. O bandido é o dono do cachorro. O ser humano. E o homem continua achando que um banho, um secador de cabelos e um perfume disfarçam a hipocrisia, o animal desconfiado que tem dentro dele. Julga os outros pela aparência, mesmo que tenha que deixar esta aparência como melhor lhe convier - maquiada. Coitado do cachorro... Coitado do dono do cachorro... Coitados de nós, animais racionais, que muitas vezes não passamos de completos irracionais. Gostamos de julgar e pensar que estamos sempre certos e cheios de razão!!!

Leia Mais »»
4

Blogs

Editar postagem

Esse Blog vai ser pra falar um pouquinho de mim, do que penso, do que acho, espero, sonho, gosto, das minhas lembranças, enfim, de tudo um pouco...
Por quê começar por Blogs? Porque resolvi criar um, ué... Depois de visitar tantas páginas de blogs, tutoriais, como fazer isso e aquilo, não resisti e acabei sucumbindo à tentação de me aventurar nesse universo viciante... Encontrei um template legal (nem sabia o que era template), com a base já pronta e aos poucos fui introduzindo modificações, acrescentando widgets (cruzes! quequeéisso?), e "otras cositas mas"... Eu sei que ele ainda tá meio modesto, mas mesmo assim estou me sentindo igual mãe coruja com o primeiro filho... É template de principiante... Claro que ainda farei outras mudanças até deixar do jeito que eu quero... Um dia eu ainda chego lá!!!
Blogs... Quem enfim inventou isso? Esse papo de diário on line, onde o sujeito coloca a vida pra qualquer um sair por aí lendo... Pois é, achei estranho também... Tem gente que pareço conviver de tanto que sei da vida... Mas aí ficava pensando, mas eu?! Como posso colocar minha vida assim, pública?!... Lembro bem das minhas agendas (sim, aquelas gordas, enormes que continham desde embalagens de chocolate à cartas de amor... um horror aliás...) que escondia a sete chaves... Não poderia pensar na possibilidade de alguém ler... Nem a melhor amiga - quer dizer, às vezes elas liam sim, em troca de eu ler a delas - rsrs...
Mas e aí pensei, por que não? Talvez porque saber que alguém está lendo aquilo faz com que aquelas promessas (tipo regime na segunda-feira, caminhada todo dia, nunca mais se envolver com pessoas erradas, etc.) passam a ser públicas e aí temos que cumprí-las, senão fica feio... Ou então porque a vida da gente é muito difícil e de certa forma é bom saber que, de repente você pode dividir isso com alguém... O peso fica mais leve... Talvez, talvez...
Sei que mesmo entendendo quase nada de informática, resolvi entrar nesse mundinho (que já tá virando mundão) de blogueiros e pretendo escrever quase todos os dias... O assunto? Ah, vai depender muito do meu estado de espírito no momento... Sinceramente, não sei se alguém vai ler... Mas se não ler também não tem importância. O importante é que eu escreva... Uma forma de entrar pra eternidade e pra desabafar um pouquinho...
Blogs, blogs... O velho diário informatizado, coisa de mundo globalizado... É, esse é o futuro... Dá um certo saudosismo daquelas agendas gordas... Dá não, eu sou saudosista.... Virginiana, já viu... uma raça.... "nunca houve tempo melhor que o passado"... Sei, tudo bem, esse papo é chato mesmo, até eu acho...rsrs. Até luto pra pensar mais no que vou fazer do que no que fiz, mas fazer o que se morro de saudade de tudo... ????
Enfim, tomara que leve esse blog adiante...
Um beijo e até a próxima, pois não vivo de fazer blogs... Aliás, se alguém quiser me contratar só pra isso vou correndo... Juro que aprendo muito mais sobre informática e sobre blogs... Ah, também sei passar, lavar, cozinhar, sou boa companhia, enfim, tô topando qualquer parada (hehe)...
Fui...

Leia Mais »»
0

Selos

Editar postagem

Este espaço é reservado para os selinhos recebidos dos amigos.
Obrigada a todos pelo carinho!





Lúcia do PSICOVIDA





Lúcia do PSICOVIDA

Leia Mais »»

Mapa do Site - BLOG TOC

Editar postagem

O .::ESTRELA DE ORION::. utiliza o Blog TOC - "Table of Contents" - que permite que você navegue e encontre o artigo que procura.

AGUARDE A PÁGINA CARREGAR

Nesta página você encontra uma lista de todos os arquivos, com os links para os artigos, a data de cada post e as respectivas categorias onde estão arquivados.
Você poderá ver um pequeno resumo de cada artigo ao colocar o cursor sobre o título.

Os artigos estão apresentados em ordem alfabética ascendente, mas clicando nos títulos das colunas você pode classificá-los em ordem ascendente ou descendente por data ou ordem alfabética.
Quando você clica no nome de uma determinada categoria, o Blog TOC mostrará todos os posts arquivados nessa categoria.
Para voltar à lista completa, clique no título "Categorias".

Para ir até a página do post de seu interesse, simplesmente clique no título do post.
Se você entrou na página do post e quiser voltar a ver o Mapa do Site, clique no botão do Menu Superior.

Bem-vindo ao .::ESTRELA DE ORION::. e boa leitura!

************






************

Leia Mais »»
Postagens mais Recentes Início