-->
4

O Estouro das Pipocas

Editar postagem

Eu sou uma pessoa que detesta mudanças, mas que passou por um fogo muito quente há três anos (os que sabem entenderão os trocadilhos após lerem o texto).
Acho que virei pipoca, porque ao invés de fugir dele (do fogo), resolvi encarar até o final. E embora ainda esteja me adaptando com essa situação, sei que hoje sou muito melhor. Esses anos foram de pura panela em brasas! Mas acho que valeu...
O texto é meio antigo, retirado do livro "O Amor que Acende a Lua" de Rubem Alves.

A transformação do milho duro em pipoca macia é símbolo da grande transformação por que devem passar os homens para que eles venham a ser quem devem ser. O milho da pipoca não é o que deve ser. Ele dever ser aquilo que acontece depois do estouro.
O milho da pipoca somos nós: duros, quebra-dentes, impróprios para comer. Pelo poder do fogo podemos, repentinamente, nos transformar em outra coisa. Mas a transformação só acontece pelo poder do fogo. Milho de pipoca que não passa pelo fogo continua a ser milho de pipoca, para sempre. Assim acontece com a gente.

As grandes transformações acontecem quando passamos pelo fogo. Quem não passa pelo fogo fica do mesmo jeito, a vida inteira. São pessoas de uma mesmice e de uma dureza assombrosas. Só que elas não percebem. Acham que o seu jeito de ser é o melhor jeito de ser. Mas, de repente, vem o fogo.
O fogo é quando a vida nos lança numa situação que nunca imaginamos. Dor. Pode ser fogo de fora: perder um amor, perder um filho, ficar doente, perder um emprego, ficar pobre. Pode ser fogo de dentro. Pânico, medo, ansiedade, depressão - sofrimentos cujas causas ignoramos. Há sempre o recurso aos remédios. Apagar o fogo. Sem fogo o sofrimento diminui. E com isso a possibilidade da grande transformação.

Imagino que a pobre pipoca, fechada dentro da panela, lá dentro ficando cada vez mais quente, pensa que sua hora chegou: vai morrer. Dentro de sua casca dura, fechada em si mesma, ela não pode imaginar destino diferente. Não pode imaginar a transformação que está sendo preparada. A pipoca não imagina aquilo de que ela é capaz.
Aí, sem aviso prévio, pelo poder do fogo, a grande transformação acontece: PUM! - e ela aparece como uma outra coisa, completamente diferente, que ela mesma nunca havia sonhado.

Bom mas ainda temos o piruá que é o milho de pipoca que se recusa a estourar. São aquelas pessoas que, por mais que o fogo esquente, se recusam a mudar. Elas acham que não pode existir coisa mais maravilhosa do que o jeito de elas serem. A sua presunção e o seu medo são a dura casca do milho que não estoura.
O destino delas é triste. Vão ficar duras a vida inteira. Não vão se transformar na flor branca macia. Não vão dar alegria para ninguém.
Terminado o estouro alegre da pipoca, no fundo da panela ficam os piruás que não servem para nada. Seu destino é o lixo...

Pensem nisso... E encarem o fogo! Não sejam piruás!
Beijos em vocês...Tenham um ótimo final de semana!

Rubem Alves

4 Comentários Adicionar Comentário

Renato Okano :

Nossa conversa é num bar virtual,com um garçom servindo aperitivos filosóficos...
Complemento seu posto com este: http://renatookano.blogspot.com/2009/03/pipocas-piruas-sapos-e-reacoes.html, acreditando qie o bom da vida é acreditar.

Beijos, Pipoca.

Bellatrix :

Pois saiba que eu a-do-ro ficar de pilequinho com esse aperitivos...rsrs

Alberto Lozéa :

Lindo o seu blog Bellatrix.. parabéns!!! Se vc estiver interessada em uma parceria com o meu Sexy Help Desk, por favor me procure. Bjão..

Alberto publicou um post sobre.. Seja bem vindo ao Sexy Help Desk!

Bellatrix :

Obrigada Alberto!
Que bom que você gostou!
um beijo pra você também...

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário.
Responderei assim que for possível.
Sejam bem-vindos e obrigada pela visita!

Postagens mais Recentes Postagens Mais Antigas Início