-->
1

Malabaristas

Editar postagem

Um show de exibição em basquete, com acrobacias fantásticas!
Veja aqui mais vídeos desses artistas malucos!


Leia Mais »»
2

Textos Falsos - Parte 5

Editar postagem

Na atual situação em que nós consumidores estamos, reféns de algumas pseudo-empresas prestadoras de péssimos serviços tais como telefonia, tv a cabo e por aí afora, um texto bem apropriado, de autoria ainda desconhecida, mas creditado indevidamente a Mario Prata.
Nas minhas pesquisas em busca do autor, encontrei neste blog abandonado da cantora Claudia Telles, abaixo do texto publicado com o título "O grande macete" em 16/01/2004, o nome de Marcos André Borges.

Fuçando mais um pouco achei aqui algumas informações a respeito de Marcos André Borges, jornalista e diretor da VSM Comunicação, agência pioneira na área de Comunicação Corporativa no Ceará.
Mandei a ele um e-mail perguntando se é autor do texto "Então cancela!", e estou à espera de uma resposta que, se vier, colocarei aqui no blog para matar nossa curiosidade.
Abaixo do texto em questão, coloco um trecho de uma crônica do próprio Mario Prata, desmentindo a autoria e protestando sobre a falta de "policiamento" na Internet.

ENTÃO CANCELA!

CASO 1:

Eu liguei pro Real-Visa e pedi pra diminuírem a anuidade, que ia pra 4 x 24 reais.
A atendente disse que era impossível.
Eu disse:
- Então, cancela!
Ela respondeu:
- Mas senhor, o cartão é um cartão bom demais, etc.
Eu disse:
- Não vejo motivo pra pagar 100 merréis por ano pra pagar minhas contas com um pedaço de plástico.
Ela disse:
- Mas senhor, nosso produto é diferenciado. Não podemos abaixar o valor.
Eu disse:
- Então, cancela!
Aí ela disse:
- Espere um minuto, por favor.
Voltou com a boa nova:
- Senhor, podemos deixar pelo valor que está, 4 x 16 reais.
Eu disse:
- Então, cancela!
Ela respondeu:
- Espere um minuto, por favor.
Mais uma vez:
- Senhor, podemos deixar por 3 x 16 reais.
Eu disse:
- Não quero. Cancela!
Ela novamente disse:
- Espere um minuto, por favor… Senhor, podemos deixar então por 2 x 16.
Aí, eu concordei. Mas tive a impressão que poderia sair dessa negociação com o Real-Visa me pagando pra usar aquela droga.

CASO 2:

A TVA reajustou os preços. Eu disse que não ia pagar aumento nenhum.
A atendente respondeu:
- Senhor, infelizmente não podemos fazer nada.
O que que eu fiz? Liguei pra Net e assinei com eles.
Liguei pra TVA e disse:
- Cancela!
A atendente robótica disse:
- Senhor, espere um minuto… O senhor não precisa cancelar. Manteremos o preço como está.
Respondi:
- Agora eu não quero, só estão me isentando do aumento porque eu estou cancelando!
Eles ficaram desesperados, porque eu estava cancelando 2 pontos de pacote total e mais a internet de alta velocidade.
Abaixo seguem as propostas que eles continuaram fazendo e as minhas respostas:
- Isenção de uma mensalidade…
- Cancela!
- Isenção de duas mensalidades…
- Cancela!
- Manutenção de apenas 1 ponto mais desconto permanente de mensalidade…
- Cancela!
- Manutenção de 1 ponto com pacote reduzido mais desconto permanente…
- Cancela!
- Proposta acima com inclusão de HBO e mais algumas mensalidades reduzidas com internet de alta velocidade.
- Cancela! Cancela! Cancela!
Cancelei, e agora pago mais barato!

CASO 3:

Quarta eu fui jantar num restaurante, e esqueci meu celular lá.
No dia seguinte, eu liguei pra Vivo e pedi que desligassem o número por segurança, até eu recuperar o aparelho.
A atendente disse, naquela língua do gerúndio odiosa:
- Senhor, estaremos cobrando uma taxa de 24 reais.
Eu me indignei:
- Como é? Eu pago 60 reais pra USAR o mês inteiro, e vou pagar 24 reais pra NÃO USAR o celular por três dias?
Ela respondeu que não tinha jeito.
O que que eu disse?
- Então, cancela!
Aí ela disse:
- Senhor, um minuto que eu vou estar lhe passando pra outro setor.
Atendeu uma outra mulher que disse que eu “poderia estar fazendo o cancelamento sem estar sendo cobrado pelo serviço.”
Eu respondi que se ela estivesse fazendo isso eu ia estar agradecendo.
De qualquer maneira, comprei um celular da Tim (125 minutos por 55 reais) e vou dar um chute nessa Vivo semana que vem.
Vai ser divertido ver eles implorarem!

MORAL DA HISTÓRIA:
Entenderam??? Não se esqueçam das palavras mágicas: “ENTÃO CANCELA!”

(Autoria Desconhecida)

Leia abaixo um trecho da crônica que escreveu Mario Prata em 25/02/2004, quando então era colunista do jornal O ESTADO DE PAULO

Pronto, abri a caixa de e-mail e achei o assunto. Acho que foi o e-mail de número 50 me perguntando uma mesma coisa. Aliás, faz tempo que estou pensando em falar nisso.

Eu queria falar sobre a polícia brasileira. Não sobre a polícia que trabalhou bravamente durante as enchentes e o carnaval, mas sobre uma polícia que não existe. A polícia da internet. Não existe uma delegaciazinha especializada, né? E os crimes estão rolando. E pra cima de mim. Pra quem eu reclamaria, se não tivesse este espaço aqui, senhora prefeita, senhor governador e senhor Lula?

É o seguinte: alguém soltou um texto pela internet chamado “Então cancela!”, e assinou o meu nome. E ainda assinou errado, com acento no a do Mario. O problema é que esta pessoa está cometendo um crime, algumas injúrias, usando o meu nome. Entre outras coisas, cai de pau em cima do Banco Real (onde num tive conta) e no cartão Visa (que tenho dois). Digamos que isto possa me prejudicar. Não poupa a Net nem os provedores.

Pelo pouco que eu entendo de computador e internet, sei que pode-se rastrear os e-mails e chegar ao primeiro, no que colocou o meu nomezinho lá. Mas a quem eu devo recorrer, se a delegacia ali da esquina tem uma Remington (para quem não viveu, é uma máquina de escrever, daquelas que você digita e imprime sem impressora, moderníssima)? E se o Visa cortar o meu barato (que é meio caro) como é que eu vou provar que não escrevi aquilo, prefeita, governador e presidente?

Pensem nisto enquanto curam a ressaca. País do carnaval é isso aí. Um texto a mais um texto a menos que diferença faz?

Tem alguém aí que pode me ajudar a achar este novo tipo de bandido, usando o meu nome para falar mal dos meus confetes e das minhas serpentinas?

Leia Mais »»
4

Banquete para os Olhos

Editar postagem

Carl Warner é um fotógrafo britânico extremamente criativo, que resolveu fotografar paisagens de alimentos.
O nome oficial desta fantástica série fotográfica é Foodscapes, e foi utilizada por Warner num livro para promover a alimentação saudável entre as crianças e também para uma campanha publicitária.
Warner primeiro esboçou o conceito e depois, juntamente com sua equipe de estúdio , "estilistas de comida" e fabricantes criaram as composições do cenário. Cada uma delas foi montada, iluminada e fotografada em camadas. Demoraram cerca de 2 a 3 dias para construir e fotografar o "set" e as imagens resultantes foram então compiladas através de tecnologia em 1 a 2 dias.

As casas que se avistam ao fundo são feitas de queijo, o carrinho de fatias de lasanha, os campos de macarrão e as nuvens de mozzarella. As árvores são elaboradas de pimentão, salsa e manjericão


As rochas são feitas de pão, mas no fundo do mar são de couve-flor. A caverna é feita com frutos do mar


Nesta floresta as árvores são brócolis penduradas com ervilhas e os trilhos são feitos de cominho. As montanhas são de pão e as nuvens de couve-flor


O céu é feito de folhas de couve-roxa, as pedras são batata-doce, o desfiladeiro de pão e as árvores são folhas de couve


Casas de queijo, toldos e cestos de macarrão, de resto a rua é composta de grãos e legumes


O mar vermelho que visualizamos é formado por fatias de salmão e no seu meio navega um barquinho feito de ervilhas. As rochas são feitas de batatas e pão


As montanhas são feitas de pão


Os balões são de frutas e legumes e as árvores de brócolis


Carl trabalhando em seu estúdio...


... e o resultado... Estrada de Salame


Essas fotos foram tiradas numa sequência e utilizadas na campanha publicitária da Negroni, uma das melhores produtoras italianas de frios

Veja aqui mais algumas imagens capturadas por esse fantástico fotógrafo!
Fiquei até com água na boca!!!

Leia Mais »»
Postagens mais Recentes Postagens Mais Antigas Início